aqui

Não temos como acolher novos animais!

Compreendemos a situação das pessoas que retiram um animal da rua e precisam de ajuda para acolhê-lo, cuidar dele, doá-lo…

Essa é a nossa realidade diária! Recebemos em torno de 5 pedidos de acolhida todos os dias!

Gostaríamos muito de poder ajudar a todos, mas não temos mais lugar disponível para novos animais. Estamos com o abrigo que administramos totalmente lotado, e não temos reserva financeira para mais animais!

Temos mais de 450 cães e gatos sob a nossa guarda, no abrigo da D. Marina, em nossas casas, em lares temporários, alguns em hospedagens e até em clínicas. Muitos são velhos, outros tantos estão doentes pela idade ou porque assim chegaram. 80% provavelmente ficará conosco para sempre, porque são feios, velhos, deficientes, agressivos ou muito comuns, e não conseguirão ser adotados.

Isto tudo envolve espaço e despesas muito altas! Temos um custo elevado todos os meses e as emergências consomem sempre muito mais recursos do que arrecadamos. Precisamos de mais colaboradores para conseguirmos sanar nossas dívidas e manter os animais que estão conosco.

Se você está um com animal resgatado e precisa de ajuda, sugerimos procurar o apoio de algum amigo que se proponha a acolher o animal em um lar temporário (se você não puder), até ser avaliado por um veterinário, tratado, castrado (quando for o caso) e disponibilizado para adoção.

Normalmente conseguir ajuda para 1 (um) animal com um amigo ou um grupo de pessoas, é mais fácil, rápido e prático do que a ajuda de um grupo de proteção ou associação, que já têm dezenas ou centenas de animais para cuidar e manter.

Lembramos que a castração é fundamental para que o animal não se reproduza e gere ninhadas indesejadas na casa de alguém ou mesmo na rua. Em nossa HP tem o link com as informações da castração gratuita pela Prefeitura.

Depois de tratado, você pode divulgá-lo para adoção por e-mail, Facebook, Instagram, em pet shops e veterinárias. E-mails funcionam muito bem! Com duas boas fotos dele, seu telefone de contato e a história explicando tudo, ele terá mais chances do que indo para um abrigo (normalmente pobres, superlotados, cheios de doenças e com instalações precárias).

E para que o animal não passe mais privações, fome, frio ou dor, é muito importante que o candidato seja avaliado cuidadosamente para que a adoção seja bem feita e o animal não vá parar nas ruas novamente. Na entrevista com o possível adotante, não esqueça de perguntar sobre o local onde ficará e dormirá, se terá companhia de pessoas, que ração será oferecida, se terá apoio veterinário, etc.

Não desista do animal que você viu ou resgatou, ele provavelmente só tem a sua ajuda e depende de você para viver!

Desejamos boa sorte e sucesso na sua boa ação!

Estamos à disposição para outras informações e orientações.

Equipe Ação Animal